Nova York

new-york12Começo escrevendo pra dizer que todo mundo na vida merecia viajar 2x por ano, pelo menos, sendo que uma dessas, obrigatoriamente deveria ser Nova Iorque. Demorei muito pra conhecer, a primeira foi em março de 2012, mas desde então, voltei outras duas vezes. Simplesmente amor a primeira vista. Sempre fui da teoria que devemos viajar para lugares novos, mas Nova York é diferente. A cidade é algo um tanto quanto espetacular. Cada ida, uma experiência nova. Uma descoberta surpreendente. Novos lugares, novas pessoas e uma paixão ainda maior.
Esta minha última ida foi para correr a maratona, no entanto, por estar sozinho, resolvi finalmente fazer programas turísticos e gastronômicos, deixando de lado as compras.
Vou tentar ser mais objetivo e falar pontualmente sobre os lugares que visitei e dicas que achar importante. Deixarei de lado meus enormes textos narrativos e ser um pouco mais objetivo em relação aos pontos turísticos! (Ufa, né?). Então vamos lá. Seguem abaixo meus programas turístico. (Agora revisando o texto, ficou grande, mas com dicas bem bacanas. Quem for viajar, vale imprimir e levar).

De cara falo sobre o transfer no aeroporto. Cheguei no JFK. Uma boa dica econômica, é usar o Super Shuttle (http://www.supershuttle.com/). Quem quiser pode fazer o booking online ou direto no guichê de informações do aeroporto. Essa dica serve também para outros destinos dos EUA. Esse transporte é o mais barato. É um serviço de Van, que você divide com outros viajantes. O lado ruim é que você pode correr o risco de ser o último a ser deixado (foi o meu caso). E ainda peguei horário de rush. Cheguei no hotel quase 2:30 depois de sair do aeroporto. Eu não tinha pressa, já que não tinha compromisso. Mas acho que vale a pena. Pra voltar, eu fiz a reserva pelo celular. Me buscou pontualmente no hotel. Mesmo valor.

Hotel Park 79 – Recebi muitas indicações no facebook de hotéis. Por ser uma época muito concorrida, os preços estava absurdos. Mas achei esse hotel apresentável e com boa nota no booking (7.2). Peguei quarto pra 1 pessoa. Porém, tive que compartilhar um banheiro com outros 3 quartos, o que de fato não foi problema. No quarto só havia cama, pia e um móvel com televisão. A cama era boa, mas o hotel não tinha serviço de quarto, apenas limpeza. Sempre que precisei do banheiro, estava desocupado e limpo. Esse hotel é próximo ao central park, consequentemente, próximo a chegada da maratona, o que pra mim, foi perfeito. Me atendeu, mas não ficaria de novo. Estava a dois quarteirões do metrô. O lado legal de ficar lá, foi viver o halloween como americano. A região é residencial e muitas crianças passaram na rua fantasiadas e falando o tradicional Trick or Treat.
Confira o hotel em: http://www.park79hotel.com/ ou no booking.com

Cheguei ao hotel por volta de 10 horas da manhã. Como o checkin era apenas as 15h, tive que deixar a mala e bater perna na rua. O hotel ficava a meio quarteirão do Museu de História Natural (o mesmo do filme uma noite no museu). De cara achei sensacional. Existe um valor de US$ 22.00 de entrada, porém, você paga o quanto você acha que vale. Mas, obviamente, paguei o valor total. E de fato, valeu o preço. É incrível como americano sabe fazer as coisas bem feito. É um museu enorme e conta um pouco de tudo. Da história da evolução da espécie, do big bang aos tempos de hoje. Passando pela cultura asiática, Oceania, América e claro, Nova Iorquina. Muito legal ver a quantidade de excursões de crianças, com professores contando um pouco de tudo. Uma verdadeira aula de história. Vale baixar o guia no iphone ou ipad para acompanhar a visita. São 4 andares, sem um mapa, você acaba se perdendo ou deixando de visitar alguma parte bacana do museu. Gastei aproximadamente 2h no museu. Confira maiores informações em http://www.amnh.org.

Saindo do museu, desci caminhando pelo central park (não precisa nem falar que você precisa passear pelo parque, né?), em direção a Apple Store. É uma visita indispensável. A famosa loja do cubo subterrânea na 59th com 5th avenida. É imensa e sempre lotada. Essa loja funciona 24h. Se você pretende comprar algo, sugiro que vá mais a noite ou mesmo de madrugada. Você terá mais tempo pra comprar e claro, a atenção do vendedor. Próximo a Apple, na 57th, está a loja da Nike Town. Desça a quinta avenida e vire a esquerda na 57. Como precisava comprar algumas roupas de corrida, passei pra ver o que tinha de novo. Recomendo a visita. São 6 andares que você encontra tudo que precisa para praticar seu esporte.

MoMa – Museu de arte Moderna. Foi pra mim a grande surpresa da viagem. Sempre que viajo, procuro visitar pelo menos um museu. Nunca fui muito interessado em artes, muito menos conhecedor. Mas esse museu é fantástico. Não precisa ser nenhum expert para identificar os diferentes estilos e/ou movimentos artísticos. Passando pelo surrealismo, cubismo, impressionismo, dadaísmo entre outros. O MoMa possui 6 andares e numa ordem decrescente, dos dias de hoje ao século 19, conforme vai subindo, você vai admirando as tendências de cada época. No segundo piso está a galeria contemporânea, com exposições da década de 80 aos dias de hoje. O terceiro é dedicado a arquitetura e design, além de desenhos e fotografias. No quarto encontramos os movimentos do século XX, especialmente do período de 40 a 80, com obras de artistas como Jasper Johns, Andy Warhol, Roy Lichtenstein entre outros. Os grandes nomes da arte, como Monet, Picasso, Van Gogh, Piet Mondrian, Paul Cézanne e mais artistas dos anos 1880 a 1940, estão expostos no 5o piso. Já o sexto piso é dedicado a exposições de algum artista em especial. Pra finalizar a visita, a loja do MoMa é muito bacana. Da vontade de comprar tudo. São em geral, produtos modernos e com design fora do comum. Vale a pena a visita. Impossível sair sem um souvenier. O valor de entrada é US$ 25.00. MoMa está na 11West 53st. Confira MoMa.org.

Eataly – complexo de lojas e restaurantes italianos. É como um grande mercado com produtos italianos. Sensacional pra quem gosta. Um programa e tanto pra quem quer comer uma boa massa, pizza ou apenas degustar queijos e salumeria tomando um bom vinho. Fui jantar e recomendo. 200 5th entre 23th e 24th. http://www.eataly.com/
Assim finalizei minha quarta-feira.

Tirei a quinta-feira para compras. Achei uma boa estratégia já que assim pude concentrar os demais dias pra turismo e assim, conhecer mais coisa. Não vou me alongar muito neste dia, já que fiz coisas já “clássicas” para Brasileiros que viajam para NY. Na manhã deste dia, fiquei praticamente na feira da maratona.

Whole Foods – Na Columbus Circle tem um shopping em frente a praça. Logo que você entra, tem uma escada rolante para o subsolo. É um excelente opção para café da manhã, almoço ou lanche. Já almocei numa outra ida, mas nesse dia tomei café. Vale a pena. É um supermercado com buffet self service e praça de alimentação. Comida boa e preço justo. Se tiver por perto, vale a pena.

http://www.theshopsatcolumbuscircle.com/

Century 21 – É o paraíso dos Brasileiros e da mulherada. Eu particularmente não tive paciência pra ficar lá. Achei muito cheio e confuso. Mas vale a pena pra compras. Pra homem, eu prefiro a Macy’s. Menos confusa e mais vazio.

http://www.c21stores.com/

Macy’s – Como disse acima, mais tranquila pra comprar. E também maior. São vários andares e você encontra de tudo. É um quarteirão de loja. Maior que qualquer shopping do Brasil. http://www.macys.com/
Costuma ter 10% de desconto pra Brasileiro. Pergunte sempre antes de comprar.

Paragon Sports – A Disney do esportista. Essa loja é fantástica. Você encontra absolutamente tudo nela, tudo mesmo. Pra quem precisa comprar qualquer coisa, vale a pena ir direto lá. 867 Broadway na 18th.

http://www.paragonsports.com/

Serafina Restaurant – Depois de tanto caminhar, era hora de jantar. Por indicação de algumas pessoas, eu fui nesse restaurante. Existem 7 unidades em NY. Eu fui no da Broadway. Comi uma pizza de margherita por indicação. Massa fina e bem gostosa. Não deixa a desejar em nada para nossas pizzas. Mas o restaurante é muito agradável, bom atendimento e preço justo. Vale a pena ir. O cardápio é variado e possui outras opções. 210 West 55th.

http://serafinarestaurant.com/

Sexta-feira foi meu último dia de turismo. Sábado iria diminuir o ritmo para descansar as pernas para a maratona no domingo. E segunda-feira, iria embora a noite porém, sabia que não teria condições de caminhar. Dito e feito. Rs. Nesse dia rodei praticamente tudo que eu tinha desejo de conhecer. Antes de viajar, anotei vários lugares que queria conhecer. Se você tiver facebook, não tenha vergonha de postar na sua timeline pedindo dicas. Muitas das coisas que fiz, foi com dicas de amigos viajantes. Você se surpreenderá com a quantidade de programa legal que tem pra fazer em NYC. A maioria, você sequer ouviu falar que existe, ou encontrará em um guia.

Logo pela manhã tive que buscar uma encomenda próximo ao Empire States. Caminhando pela rua, escolhi um lugar que fosse mais apresentável para tomar café. E foi uma grata surpresa. A rede chama Bread and Butter. Comi um sanduíche e um vitamina de frutas. Muito bom. E pelo que vi, também servem almoço em self service. Se tiver passando por perto, vale a ida. Nada demais, mas com um bom custo benefício. 419 Park esquina com 29th. http://www.breadbutter29.com/index.html#!/

Empire States – Acho que todo mundo deveria subir um dia. A vista é bem bonita. Mas aquele negócio né, um dinheirinho pra tirar meia dúzia de fotos e partir. Não há muito o que fazer. Eu estava na dúvida entre o Empire e o Rockfeller. Acho muito pessoal. Eu optei pelo Empire pela história, já que foi o primeiro arranha céu do mundo. Valeu a pena a visita. Não fiquei nem 10 minutos lá em cima. Tava um gelo! Quem tiver com tempo, suba no final do dia. Aproveita pra ver o pôr-do-sol e depois NYC iluminada. US$ 27.00 é o valor para subir. Esbnyc.com

Biblioteca Pública – Se tiver passando pela 5th Av com 42nd St, gaste 10 minutos pra conhecer a biblioteca pública. Vale a pena conhecer e não paga nada pra entrar.

Grand Central Terminal – Mais que uma estação de metrô. É um grande complexo. Cena de muitos filmes, passe lá, nem que seja pra registrar o momento. Você pode aproveitar para fazer compras, almoçar ou jantar. Um lugar realmente muito bonito. Superou minhas expectativas. Mais um lugar que não paga para entrar. (Depois que voltei, fiquei sabendo que possui excelentes restaurantes. Procure saber). Fica na 87 East 42nd St. Visite! http://www.grandcentralterminal.com/

Esses três programas acima estão muito próximos. Da pra fazer caminhando.

Feito isso, desci de metrô para o Soho. Por sinal, este bairro possui muitas lojas bacanas. Vale a pena bater perna por lá.

Balthazar – Sem dúvida foi o restaurante que mais recebi indicação para conhecer. E de fato, faz juz a fama. É um bistrô francês bem clássico. Decoração remete aos tradicionais restaurantes daquele país. Porém, não se preocupe, você irá comer muito bem. O atendimento é excelente. Ele fica aberto para café, almoço e jantar. Segui mais uma vez indicações e comi um Hamburger. Vale a pena pedir. Foge os padrões tradicionais. O bife de hamburger é espetacular. Acompanha batata frita que, segundo uma senhora nova iorquina que estava na mesa ao lado, é o que há de mais famoso lá. Dá água na boca só de lembrar. O restaurante fica no Soho na 80 spring St. Passei na porta dois dias, ambos lotado. Vale a pena esperar para comer ou reservar com antecedência. http://www.balthazarny.com/

Chinatown e Little italy – Essas duas regiões se encontram próximas ao Soho. Dá pra conhece-las a pé. Na little italy existem muitos restaurantes italianos. Até fui em um, mas acabei não anotando o nome. Comi uma massa muito boa. Escolhi o restaurante no olho, sem indicação.
Andando pela chinatown, você se sentirá na China. É impressionante como só se vê chinês na rua. É até engraçado. Não fui a nenhum restaurante, mas pelo que sei, existem boas opções por lá. Sugiro buscar indicações. Como não sou muito de comida chinesa, prefiro não me arriscar.

Highline – Entre a 12th e 30th street, próxima a 10av. Achei esse lugar sensacional. É um grande jardim suspenso em uma linha de trem desativada. Além da beleza natural, durante todo o percurso, você vê algumas demonstrações de artes. Esse “parque” se tornou uma grande galeria de arte ao ar livre. Sem dúvida é um passeio imperdível. Não há custo algum para passear por lá. http://www.thehighline.org/

Biergarten – Quando fui a NY no ano passado, conheci esse bar, que fica exatamente no final da highline. Eu achei sensacional! Ele tem um estilo alemão, com mesas comunitárias. É impossível não interagir com as outras pessoas. Você mesmo pega sua bebida no bar, seja um chopp ou garrafa de vinho. O que torna o lugar ainda mais bacana, são duas mesas de ping pong que você pode jogar a vontade. Junto a isso tudo, o lugar ainda é muito bonito. A diversão é garantida. Ele fica na 848 Washington com 13th Street. http://standardhotels.com/high-line/food-drink/biergarten

Chelseamarket – Esse charmoso mercado novaiorquinho do Chelsea está na 75 9th Av, próximo a highline e biergarten. Dá pra ir a pé. A construção data de 1912 e era uma antiga fábrica de biscoitos. Você encontra lojas de roupas, mas o forte são os restaurantes, lanchonetes, mercadinhos e docerias. Mais um passeio imperdível. Como já tinha almoçado, foi apenas um passeio turístico e não gastronômico. Porém, opções não irão faltar para uma boa alimentação. Não deixe de ir. http://www.chelseamarket.com/

Carmines – Talvez tenha sido o restaurante mais honesto que já fui na minha vida. Estava sozinho e assim que cheguei, a hostess perguntou se eu conhecia o restaurante. Disse que não. Então, ela me disse que talvez não seria um bom restaurante pra mim, já que os pratos eram enormes. Mesmo assim, insisti que gostaria de jantar ali. Pois bem, ao sentar na mesa, a garçonete repetiu o mesmo discurso. E assim foi com todos que sentavam ao meu redor. E de fato, o prato é ENORME! Serve, pelo menos, 3 pessoas. É um tradicional restaurante italiano, com várias opções de pratos. Eu fui no Carmines da 200 west 44th street. Estava lotado. Se tiver acompanhado de mais 2 pessoas, eu indico. Sozinho, não vale a pena mesmo não. O prato custa em torno de 30 dólares. http://www.carminesnyc.com/

Ruth’s Chris Steak House – Talvez tenha sido uma das melhores carnes que já comi. Está localizado na 148 west 51st street. Ah, a batata frita que acompanha também é sensacional. Se você gosta de carne, coloque esse restaurante no seu roteiro. Comi uma carne que simplesmente derreteu na minha boca! Não deixe de visitar. Pelo que vi no site, existem várias franquias em todo os Estados Unidos. Confira: http://www.ruthschris.com/

Quality Meats – Em outra ida e NY, fui nesse restaurante e não poderia deixar de indica-lo aqui. O restaurante também é muito bonito. A carne também é sensacional. Se for amante de carne como eu, não deixe de ir. http://www.qualitymeatsnyc.com/

Add Comment

Deixe uma resposta